Páginas

Reflexões


Mais do preconceito

Já que estou no embalo de escrever sobre preconceito, aí vai mais uma história.

Estava rolando um campeonato de futebol entre os alunos do Instituto em que eu estudo. Um time com portugueses e espanhóis e um time com os africanos. Fui lá assistir, já que tinham amigos meus jogando e amigos meus assistindo a partida.

Os africanos são do time oficial do IPB, então nem precisa falar que eles deram um show no outro time. Coisa de tipo 10 ou 11 a 1. Beleza, o que nós escutamos desde sempre é que o importante é competir, ainda mais em um campeonato de faculdade valendo nada.

Bom, foi aí que um espanhol falou bem alto: "Beleza, nós perdemos, mas pelo menos continuamos brancos."
Sabe quando você escuta uma coisa tão estúpida, que dói por dentro? É que eu ainda não tinha visto uma manifestação de racismo assim por aqui. Como pode? Mas fiquei muito feliz quando vi que as pessoas, principalmente os outros espanhóis, mandaram ele parar de falar esse tipo de coisa, que era idiota.



Foi aí que eu vi o preconceito

Quando eu saí do Brasil já tinha escutado falar que no geral os europeus não tem uma visão muito boa do Brasil em alguns aspectos. Depois que vim morar na Europa e tive contato com as pessoas daqui , percebi que quando se fala do Brasil, eles pensam logo em sol, praia, Rio de Janeiro, carnaval, mulheres e futebol. Segundo os meus amigos europeus, o Rio de Janeiro é o destino dos sonhos da América.

Eu e os brasileiros que moram comigo somos amigos de vários portugueses. Um dia desses, uma das portuguesas nos chamou para jantar em um restaurante da cidade. Quando chegamos ao restaurante também estavam a mãe da portuguesa, uma prima, uma tia e mais duas amigas dela. Tudo muito agradável, comida boa e conversa tranquila. Foi aí que a prima da portuguesa falou que fazia Análises Clínicas e que estava terminando o curso, mas que gostaria de fazer estágio em outro país.
Nós, muito educados e receptivos, sugerimos que ela fosse para o Brasil. Aí ela respondeu que não tinha a menor vontade de ir ao Brasil por causa da violência (ok, até eu tenho medo de voltar pro Brasil por causa da violência, e imagina o quão assustador é para o pessoal daqui o índice de violência urbana no Brasil). Mas ela também não queria ir ao Brasil porque nas palavras dela, ela não sabia nem se o Brasil tinha hospital (ridícula). Isso já foi motivo pra começar a discussão. O sistema público de saúde no Brasil não é bom, mas falar que a gente não tem hospital foi sacanagem.

Continue lendo >>>

0 comentários:

Postar um comentário

Página inicial