Páginas

domingo, 13 de setembro de 2015

14 Coisas que você gostaria que tivessem te contado antes de entrar na faculdade



Decidir qual curso fazer é uma tarefa difícil. Saber o que fazer dentro da faculdade e depois dela pode ser muito difícil também. Espero que essas dicas ajudem.

1) Você tem que gostar do que faz

Não raramente vemos pessoas que estão cursando algo e nem sabem o porquê de estarem fazendo aquilo. Pressão dos pais, possibilidade de ascensão financeira, status, conveniência e outras infinitas possibilidades podem entrar nessa lista. A verdade é que escolher uma profissão aos 17 anos é muito complicado, e muita gente realmente não tem ideia do que quer da vida nessa idade (isso é muito mais comum do que se imagina). Coisas que podem te ajudar nessa fase são testes vocacionais, conversas com quem está na faculdade e que pode te contar sobre como são alguns cursos, visitar universidades, participar de feiras de profissões, conversas com profissionais de áreas diferentes, ler (jornais, revistas, sites, blogs, você vai ter uma enxurrada de informações sobre o mercado de trabalho e profissões). 

Einsten já dizia: "Todo mundo é um gênio. Mas, se você julgar um peixe pela sua capacidade de subir em uma árvore, ele vai gastar toda a sua vida acreditando que é um estúpido." No que isso se encaixa aqui? Todo mundo nasceu para ser muito bom em uma coisa, não tente ser o que você não é. Gisele Bundchen nasceu para ser modelo, Neymar para jogar futebol, imagina se Gisele fosse obrigada a jogar futebol e Neymar a desfilar. É só uma analogia ao que muita gente passa dentro de casa (os pais querem obrigar o filho a fazer medicina por exemplo, mas ele nasceu para o cinema).

Imagem: Estudar Fora

2) Passar no vestibular de primeira é bom, mas isso não significa nem de longe que se você não passou é porque vai ser um fracassado na vida

A entrada na faculdade é só o primeiro passo. Não conseguiu esse ano? Ano que vem tem mais. Não se apavore se não entrar de primeira. Mais importante que a rapidez que você vai entrar na faculdade será a qualidade com a qual você vai cursar. Isso significa também que se seu foco é entrar para uma universidade específica, tente de novo se no primeiro ano não conseguiu passar para aquela.

3) Agora que você está na faculdade, analise

Estar em uma faculdade é caro. Mesmo que você esteja em uma faculdade pública, talvez você tenha saído da casa dos seus pais e esteja morando em uma república, ou sua faculdade seja integral e não tenha tempo de estudar + trabalhar. Você tem que comer fora e gastar seus milhões com xerox. Então analise se é aquilo mesmo que você quer para sua vida.

Não necessariamente você terá que fazer outro vestibular para trocar de curso, se não gostar do que você está fazendo. Se for esse o seu caso, procure se informar sobre transferência. Existe a transferência interna e externa. Dependendo das regras da sua universidade você pode trocar de curso (existe um processo burocrático e seletivo para essa transferência) e dispensar as disciplinas já cursadas. Na transferência externa você pode trocar de curso e de universidade (fique ligado nas datas e procure a secretaria da universidade, essas coisas costumam ser pouquíssimo anunciadas, é você quem tem que correr atrás das informações mesmo).

Imagem: La Salle

4) Seja sociável

Lembro que na quando eu estava nos primeiros períodos, tinha uma menina na faculdade que dizia "não estou aqui para fazer amizade, vim para estudar". Bom, todos nós entramos na faculdade para estudar, mas se você não fizer aquela social (pricipalmente no início, em que ninguém se conhece, sua vida universitária será menos...bom, menos universitária).

Eu acho que a palavra-chave do recém-universitário é 'conhecer'. Queira conhecer tudo, seus professores, os funcionários, seus colegas de classe. Tão importante quanto participar das aulas é participar dos churrascos e encontros da turma. Nesses ambientes você terá a oportunidade de conhecer seus colegas fora do meio acadêmico e poderá criar laços para a vida toda. Tem quem encontre seu melhor amigo, sua alma-gêmea, tem quem encontre seu emprego dos sonhos, seu projeto de vida e muitas outras coisas. Então, sim, você também está na faculdade para fazer amizade.

Imagem: TechTudo

5) Evite ser aquele aluno marcado pelos professores

Alguns professores se consideram seres supremos e que vieram à Terra para fazer você pagar alguns dos seus pecados sem dó nem piedade. Você não pode e nem deve aceitar tudo, alguns professores passam dos limites na hora das aulas, provas e correções. Mas lembre-se: são eles que vão te aprovar ou reprovar no final do semestre (você não tem que passar por cima de nada que você julgue certo, mas às vezes não gritar e falar educadamente seja mais jogo).

6) Nem sempre o aluno com melhores notas é o que vai conseguir o melhor emprego

A vida depende de muitas variáveis. Ser um aluno com bom comportamento e boas notas é excelente, te abre muitas portas. Mas no mercado de trabalho eu nunca vi ninguém perguntar qual foi sua nota em Cálculo I para conseguir um emprego. Existem algumas características que o empregador procura, e que vai muito além da sua nota. Mas isso não significa que você deve tocar as matérias para o pau.

7) Foi reprovado? Semestre que vem tem mais!

Ser reprovado não é o final do mundo. Se você tiver sido reprovado naquela disciplina que prende o resto do curso todo é mais triste, mas ainda assim  não é o final do mundo. Sério, no final do curso você vai ver que seis meses a mais não são a morte e se você estiver em uma engenharia poderá contar nos dedos de uma mão quem se formou em exatamente 5 anos (incluindo tcc e estágio, ok? ...não apenas acabar as matérias)

8) Participe de projetos

Fique de olho em editais de projetos e bolsas na sua faculdade. Muitos professores lançam projetos e precisam de alunos para ajudá-los. Projetos de pesquisa, ensino e extensão que vão dar uma boa complementada no que você estará estudando, e de quebra você pode ganhar uma bolsa.

 Funciona mais ou menos assim: o professor lança o edital do projeto (esse edital tem que ser aprovado antes) explicando sobre o mesmo e lista tudo o que é necessário. Lá ele discrimina de quantos alunos ele precisará para ajudá-lo e marcará um processo seletivo (sim, você participará de muitos processos seletivos na sua vida). Existem os alunos bolsistas (que ganharão uma bolsa para participar do projeto) e os alunos voluntários (aqueles que não tem bolsa, mas sendo voluntário você estará mostrando ao seu professor sua vontade de estar no projeto e provavelmente você já estará um passo a frente na próxima disputa pelas bolsas). Você também pode procurar os professores com sua ideia de projeto e se ele aprovar começarem uma pesquisa.

Existem também as seleções para monitor (normalmente aquele aluno que mandou super bem na disciplina é selecionado para ser o monitor e tem como tarefa ajudar os colegas).

Existem muitos tipos de projetos na universidade. Encontre um que te agrade.

9) Participe de congressos

Eu sou fascinada por congressos. Lugar de conhecer o que está sendo estudado e o que é tendência na sua área, e também de mostrar o que você está fazendo. Você pode participar dos congressos apenas como ouvinte ou apresentando trabalhos e dando palestras. Mas que trabalhos e que palestras? Aqui entra o item 7, normalmente o dos projetos com seus professores. Além disso, em um congresso você vai estar em contato com pessoas da sua área (ou não) que terão muito a acrescentar.

Imagem: MaxScalla

10) Participe ou conheça organizações que façam o seu perfil

Empresa júnior, AIESEC, diretório acadêmico e muito mais. Existem muitas organizações formadas e geridas por jovens que tem como objetivo extrair e ajudar na formação do profissional. Todos esses lugares são para pessoas engajadas que querem se aperfeiçoar cada vez mais. Procure saber o que tem na sua cidade e na sua universidade. Participar dessas organizações é bom tanto para seu lado pessoal quanto para seu lado profissional.

Imagem: aiesec.org

11) Mobilidade acadêmica

Outra coisa que é pouco divulgada e que se você quiser saber mais, terá que correr atrás na secretaria da universidade sobre maiores informações. Basicamente a mobilidade acadêmica é a oportunidade do aluno matriculado em uma universidade estudar em outra universidade por certo período de tempo. Dependendo dos seus interesses pode ser bom para conhecer a rotina de uma universidade que você esteja de olho para um futuro mestrado ou pós, participar de um projeto ou de uma parceria entre sua faculdade e a outra, entre outras coisas.

12) Intercâmbio

Existem diversas oportunidades que não são divulgadas, e mais uma vez estamos em um tema desses. Verdade que com o Ciência sem Fronteiras o tema intercâmbio ficou bem difundido, mas existem tantos outros programas...Muitas universidades tem programas de seleção interna para intercâmbio. Elas próprias tem seu edital e sua verba para ajudarem os alunos a estudar no exterior. 

Além disso, existem outros programas como o Santander Universidades .

Você também pode aplicar seus projetos para congressos internacionais e ser selecionado para participar. Mas isso tudo, é você quem tem que ficar de olho e correr atrás.

Imagem: World Study

13) Estágio

Estágio é um dos primeiros passos para sua vida profissional de fato. Se dedique quando estiver no estágio, tente identificar qual é a área que você mais gosta, Explore o máximo que puder. 

14) Acabando a faculdade

Quando você sair da faculdade, provavelmente estará meio perdido em relação ao que fazer. Mestrado, pós, onde trabalhar, o que fazer, mochilar pelo mundo? A verdade é que as opções são muitas e você vai construindo seu futuro profissional desde o primeiro dia que você pisar na universidade. Por isso, é muito importante que você aproveite ao máximo seu tempo na faculdade para quando chegar no final olhar para trás e ver que o seu caminho está apenas no início mas que já foi maravilhoso até onde foi percorrido.

Espero ter ajudado um pouquinho.

Beijo, beijo,

Nicole Werneck

Fanpage
Instagram: @nicolewerneck
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário