Páginas

domingo, 4 de janeiro de 2015

Amor na Lapa



Rio de Janeiro é Rio de Janeiro. Tudo pode acontecer por aqui. Difícil encontrar povo mais aberto a conhecer gente e a conversar que o carioca! 

Para mim essa cidade além de oferecer tudo de mais maravilhoso, ainda é uma fonte inesgotável de inspiração(ões) para escrever!

Nesse final de ano, tirei férias e não quis saber de mais nada. Praia de dia, andar na rua a noite, dormir 10, 12 horas por dia... 

Eu vi tanta coisa legal e aprendi tanto esses dias. Conheci tanta gente bacana e diferente, que eu decidi compartilhar algumas histórias por aqui.

Rio de Janeiro é Rio de Janeiro.

Primeira história: Era uma hora da manhã e estávamos sentados em um barzinho na Lapa (<3). Eu, alguns amigos cariocas, três israelenses que estavam a passeio no Brasil e uma grega. A região mais boêmia do Rio estava abarrotada de gente, os carros não conseguiam passar na rua. Não tinha mais espaço na calçada, então as pessoas tiveram que invadir a rua mesmo. Aquele barulho de buzina de engarrafamento misturado ao som da música ao vivo dos bares que se misturava às milhares de pessoas gargalhando, gritando, conversando e procurando diversão, montavam o ambiente.

Na mesa ao lado da nossa, um grupo de meninas bebendo e rindo alto. De repente uma delas puxou uma cadeira e se sentou na nossa mesa. Perguntou se poderia contar uma história porque ela queria conselhos, principalmente conselhos masculinos (mas disse que os femininos também seriam bem-vindos...haha). Nós, claro, concordamos.

A história era essa: há três dias atrás ela tinha ido em uma festa no Leblon com as amigas. Disse que a festa foi muito boa e que elas estavam se divertindo muito. Ela conheceu um cara do Rio, eles conversaram, gostaram um do outro e acabaram ficando a noite toda. Mas ela ficou bêbada, o cara ficou chateado com algumas atitudes dela e acabou. Ele tinha pegado o whatsapp dela, mas não mandou mensagem no dia seguinte, nem no outro. Ela não tinha nenhum contato dele, mas queria encontrá-lo de novo. As únicas coisas que ela sabia eram o nome, onde ele trabalhava e que ele disse que o prédio ao lado do trabalho era onde ele morava. Como ela não sabia mais nada, ela teve a ideia de escrever um bilhete pra ele e deixar na portaria do prédio com o porteiro. O que ia acontecer depois ela não sabia, não sabia se o cara ia gostar disso ou não, não sabia se ele ignoraria, mas ela preferiu arriscar a passar pelo ridículo do que deixar uma pessoa legal ir embora assim.

Ela queria opinião de pessoas de fora: se a gente achava que tinha sido legal ou não essa atitude ou se ela tinha sido mesmo ridícula.

Eu que sou romântica achei super legal, as outras pessoas da nossa mesa também. Quer dizer, um amigo meu disse que não gostaria. Que se ele quisesse, ele teria mandado whatsapp, mas ele não é fofo, então...haha 

Troquei whatsapp com a menina porque eu queria saber o final da história. Um dia depois ela me enviou um whatsapp dizendo: 'Se exponha aos seus medos'. Perguntei o porquê. Ela me encaminhou a mensagem dele: 'Além de tudo, você é corajosa. Eu queria te mandar mensagem e não tive coragem, porque acho que houve um mal-entendido no dia. Vamos esquecer isso e tomar um sorvete?'

Achei a história incrível e a menina super corajosa. Ela me respondeu mais uma vez: 'Eu e ele vamos nos encontrar. Eu gostei dele e ele gostou de mim. Pode dar certo ou não. Vamos nos conhecer melhor. Mas eu não podia deixar que acabasse daquele jeito.'

Acho que o garoto pode se sentir muito afortunado. Quem hoje em dia manda carta assim

Lição do dia: No final da sua vida, vai ser muito melhor ter uma boa história pra contar do que não ter nada. E para poder contá-la lá na frente, você tem que se arriscar e vivê-la hoje.

Beijo, beijo,

Nicole Werneck.

Instagram: @nicolewerneckf
←  Anterior Proxima  → Página inicial

2 comentários:

  1. Oi, ^^
    Que sorte a dessa menina. Sempre pus minha cara à tapa e acabei apanhando. Não desisti ainda, mas isso só deixa a gente cada vez mais desconfiada e com medo de arriscar. Talvez os caras tenham se assustado com a minha coragem, diferente desse que ela encontrou. :)

    Adorei o blog e tentarei voltar mais vezes.
    O encontrei pelo link no post sobre o encontro de blogueiros no Blog da Talita.
    Fico feliz em ter conseguido contato com blogueiras de JF!

    Beijussss;
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Helaina! Muito obrigada! O encontro das blogueiras de Juiz de Fora foi ótimo. Vê se aparece no próximo! E o amor aparece quando menos esperamos... Beijos!!

    ResponderExcluir