Páginas

sábado, 25 de outubro de 2014

Experiência de CouchSurfing em Salamanca



Já existe uma série aqui no blog sobre CouchSurfing, mas eu nunca contei sobre a primeira vez que eu usei o site.

Estávamos em Salamanca, na Espanha, e queríamos viver de fato a cidade. Salamanca é conhecida por ter muitas festas e muitos jovens, por isso atrai universitários de várias partes do mundo. Como esse post é pra falar sobre a experiência no CouchSurfing, não vou ficar falando muito sobre a cidade aqui. Faço isso em uma próxima postagem!!

Bom, só ficamos hospedadas na casa do Alberto uma noite, a nossa última noite na cidade. Eu nunca tinha usado o site, e a Vik (uma amiga grega) foi quem arrumou tudo. Ela procurou os perfis e enviou os couchrequests para as pessoas que tinham mais a ver conosco (eu já expliquei como funciona o site aqui). O Alberto respondeu e disse que poderia nos hospedar na nossa última noite na cidade. Conversamos com ele e trocamos facebook e telefone. Ele era muito gente boa. Como seria a primeira vez que eu ia ficar na casa de uma pessoa que eu não conhecia, eu estava morrendo de medo, mas com muita vontade de ver como era. Essa gente linda que hospeda as pessoas a troco de nada. A troco de ajudar e de jogar conversa fora.

Bom, ficamos no hostel até umas nove da noite. Tínhamos marcado com o Alberto em um local próximo à casa dele e que também era próximo do hostel, às 22:30. Já estava escuro e para nos ajudar, assim que saímos do hostel começou a chover, mas a chover muito. Não tínhamos sombrinha, colocamos uma camisa na cabeça e saímos correndo (como se uma camisa na cabeça fosse adiantar alguma coisa). Chegamos ao local onde havíamos combinado. Era em frente a uma vendinha, que ainda estava aberta. Esperamos uns vinte minutos e nada dele. Eu sugeri que fôssemos embora para o hostel. Depois eu implorei para que fizéssemos isso. Era mais porque eu estava com medo do que pelo atraso. Eu falei que ele ia dar o bolo na gente e que era melhor a gente garantir o nosso lugar no hostel de uma vez. Mas a Vik disse que não, que havíamos combinado e que não poderíamos nós dar o bolo. Acatei. A bateria no meu celular acabou e a Vik não havia levado o dela. Fomos a um orelhão próximo tentar ligar para ele. Não lembro qual era o valor da moeda que tínhamos que colocar. Mas colocamos, o orelhão engoliu nossa moeda e não conseguimos ligar. Colocamos outra, o orelhão a engoliu de novo e não conseguimos ligar.

E dá-lhe chuva na nossa cabeça...

Entramos em um bar que ficava do outro lado da rua para carregar o celular. Mas o dono do bar não deixou que carregássemos ali. Um cliente escutando nossa história, nos ofereceu seu celular. Ligamos para o nosso host, ele atendeu e disse que estava indo nos buscar.

Eu já achei que ele não ia aparecer. Mas daí a alguns minutos, ele apareceu.

SUPER gente boa. Ele morava pertinho da onde estávamos. O apartamento dele era super organizado. Chegamos e tinham mais pessoas lá. Conversamos muito e tiramos várias dúvidas sobre a cidade de Salamanca e sobre como seria morar lá. O Alberto foi super atencioso e super respeitoso conosco.

Foi essencial a minha primeira experiência de CouchSurfing ter sido excelente como foi. Talvez se essa primeira experiência tivesse sido traumática como a de Londres , eu nunca mais iria querer saber do site. Mas nesse dia, eu vi que existem pessoas que realmente fazem o bem só por estarem fazendo o bem e que o mundo não era tão mal como viviam me dizendo.

Acabado de chegar em Salamanca. Essa foi a primeira vez que eu vi a luz do dia às 21:30.


Beijos, beijos,

Nicole Werneck.

Fanpage
Instagram: @nicolewerneckf
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário