Páginas

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Culinária turca



Oi gente! Eu já tinha prometido falar sobre a culinária turca, então hoje o assunto é esse!! Como eu já contei em outros posts (aqui e aqui), uma das coisas mais difíceis para eu me adaptar na Turquia foi a comida. A culinária de lá é muito diferente da que eu estava acostumada. E como o meu primeiro contato com a comida de lá foi "embaratado"(aqui), eu fiquei meio receosa também. 
Bom, antes de ir para a Turquia, eu estava na Grécia. E pra mim a comida da Grécia é a melhor do mundo, é a melhor que eu já experimentei. Quem me dera poder comer queijo feta todos os dias no café-da-manhã, como eles fazem lá. Eu queria fazer uma marmitinha (rs...) e levar um pouco da comida grega para a Turquia, mas a amiga que estava comigo (a Vik) disse que a comida turca era maravilhosa e que eu não deveria levar. 
Bom, a culinária turca é diferente e tenho certeza que minha mãe adoraria, mas eu que não gosto muito de nozes, amêndoas, castanha, molhos a base de iogurte, não me identifiquei muito. Mas o que é típico na Turquia?

Chás:
Na Turquia é muito comum tomar chá (eu não gosto muito de chá, é difícil um que me agrade, mas teve um lá que me agradou muito!). Lá é normal você chegar em um restaurante, lanchonete e pedir um chá. Os mais famosos são o chá preto e o de maçã. Eu aconselho muito o de maçã, é uma delícia. Eu até trouxe um pacotinho de 300 gramas para o Brasil, comprei no Grand Bazaar. O comércio da Turquia é repleto de lojas que vendem as ervas ou as misturas para os chás a quilo. Os copinhos em que normalmente são servidos os chás são muito bonitinhos.

Chá de maçã (fonte: http://belezaesttiloerequinte.blogspot.com.br/)

Chá na Turquia (fonte: http://mochilandoamerica.blogspot.com.br)


Iogurte:
Assim como na Grécia, iogurte na Turquia é uma coisa muito comum, e é usado como base de molho ou creme para muitas refeições. O iogurte é feito de leite de cabra, apesar de mais consistente, é mais amargo do que os iogurtes que estamos acostumados a tomar no Brasil. Certa vez, eu estava na casa de um turco na cidade de Antalya (cidade do litoral turco) e o nosso anfitrião cozinhou para nós. Colocou na mesa uma travessa com macarrão sem molho cozido e do lado um pote de iogurte. Todos na mesma hora colocaram um pouco de macarrão no prato e tacaram iogurte em cima. Eu também fiz isso, mas gente, não dá, sério. Não gostei de macarrão com molho de iogurte.
Tem também o Ayran, que é uma bebida à base de iogurte e é salgada. Lá na Turquia faz muito sucesso, mas gente, pra mim não deu também. Foi um golinho só. Quando eu disse para um turco que eu não gostava de Ayran, ele achou que eu estivesse brincando, ele não acreditava que alguém pudesse não gostar da bebida. Nós, do lado ocidental não estamos acostumados com bebida salgada. Tem várias promoções nas lanchonetes, tipo, kebab + Ayran = algum desconto, mas comer kebab com uma bebida salgada...pra mim não dá não...

Ayran

Ayran

Ayran

Na Turquia tem até Lay's com sabor de iogurte


Kebab:
Bom, tenho que falar do Kebab! O que a gente pensa na hora de um lanche rápido aqui no Brasil? Salgado, hambúrguer? Lá na Turquia a resposta seria kebab. Esse sanduíche está presente em todas as esquinas da Turquia, e quem já viajou para a Europa, também conhece. Bom, o kebab é feito com o pão pita (que é uma espécie de pão sírio, mas a massa é diferente). Eu lembro que antes de ir para a Turquia, eu estava conversando com um amigo turco pela internet (eu tenho muitos amigos turcos...hehe), e ele disse que se eu já gostava dos kebabs da Europa, eu iria adorar os da Turquia. Não sou fresca gente, mas preferi os da Europa. Não sei, mas eu acho que o sabor da carne do kebab na Turquia é mais forte, e eles também colocam mais pimenta do que eu estou acostumada. Tem uma infinidade de tipos de kebab lá. Ah...eu sempre achei uma coisa um pouco estranha o jeito que a carne dos kebabs fica exposta para ser colocada no sanduíche, mas depois eu fui na Turquia e vi vários vendedores debaixo do sol com aquela carne suando e pegando a carne com a mesma mão que pegou o dinheiro.

Kebab (fonte: http://www.boletus.com)

Carne do kebab (fonte: http://www.angiecafiero)


Doces: 
Os doces turcos são muito famosos, mas é aquilo que eu disse, levam castanha, amêndoas, pistache. Eu não gosto dessas coisas, mas quem gosta com certeza se acabaria lá. Como eu disse acima, minha mãe adoraria. Mas não foram de todos que eu não gostei. Eu gostei muito do baklava, que é um doce muito famoso no país, e até ajudei a fazer quando eu estava na casa da minha "família turca" na Capadócia.


Doces comprados na rua

Doces comprados na rua

Baklava (fonte: https://www.collarcitybrownstone.com)



Bebidas:
A bebida alcoólica mais popular do país é o Raki, que é feito de anis. Essa bebida tem alto teor alcoólico, então se você for para a Turquia, vá com calma no Raki. Eles bebem também muito café, e como eu já disse acima chás.

             Raki(fonte:http://eu.greekreporter.com)

Raki(fonte:http://www.antalya.org)


Café-da-manhã
Quando eu estava na Capadócia, todos os dias nós acordávamos com uma mesa maravilhosa de café-da-manhã nos dando bom dia. Os nossos hosts preparavam o café-da-manhã tradicional para nós, que normalmente contém: pães, azeitonas, tomates, pepinos, queijo, mel, chá turco, café, omelete, borek(tipo uma torta recheada com carne, queijo e vegetais), manteiga, doces, frutas...(muita coisa). Esse é o café-da-manhã típico da Turquia.

Café-da-manhã maravilhoso

Algumas curiosidades:
Antes de ir para a Turquia, nos alertaram muito para não tomar água direto da torneira, na Europa faz-se muito isso. Mas pode-se pegar alguma infecção se fizer isso na Turquia.
Como eu disse no em outro post (aqui) sobre as baratas, meu primeiro contato com a comida na Turquia foi nada higiênico. E isso foi outra coisa que nos falaram muito antes de ir para a Turquia. Muitos lugares que vendem comida e muitas barraquinhas na rua não são nada higiênicas. Quando se viaja, tem que tomar muito cuidado com a comida mesmo, porque pegar uma infecção alimentar em uma viagem não deve ser uma coisa nada legal.
Devido a religião, não se encontra carne de porco nos restaurantes. Meu amigo da Capadócia me contou que a primeira vez que ele provou carne de porco, ele tinha mais de vinte anos e estava na Espanha.
As donas de casa cozinham muito bem e tem muito trabalho na cozinha, principalmente quando recebem visitas. Quando estiver em uma casa turca, coma tudo o que for oferecido, é uma desfeita não comer, e pense que a anfitriã com certeza se doou ao preparar a comida e pode até ter problemas em casa se alguém disser que não gostou.
Ah...sempre que almoçávamos ou jantávamos na casa de alguém, era servida uma sopa antes do prato principal, experimentei uma de ervilha muito boa, claro experimentei uma de iogurte também. O pão sempre acompanha a sopa.
Os turcos gostam muito de andar com doces na bolsa, meu amigo andava com balas de coco no bolso.
A comida de rua da Turquia é muito variada. Encontra-se quase tudo, e o que não encontra eles mandam buscar...haha (#comerciantesturcos)
Uma coisa maravilhosa (na Grécia e na Turquia): melancia e melão, são mais doces do que os que a gente encontra no Brasil. O melão de lá é verdinho por dentro e docinho, é muito gostoso. Se eu pudesse teria trazido alguns na mala...haha

Street food (fonte: http://notjustaphoto.me)

Tem muitas barraquinha com frutas e de sucos. Ele vendem coisas tipo um pedaço de abacaxi no espeto, frutas diferentes para nós como romã e grapefruit.

Street food (fonte: http://notjustaphoto.me)

Peixe grelhado direto do mar. Acho meio complicado comer peixe em uma barraquinha na rua, mas...

Stret food (fonte: http://notjustaphoto.me)

Existe um pãozinho turco com gergelim, chamado smit que é muito vendido nas barraquinhas espalhadas pelas cidades. Esse pãozinho é muito encontrado na Grécia também, em qualquer barraquinha na rua, só não lembro se o nome na Grécia é smit. É bom, mas tem vendedores que te entregam o pão na mão, tipo sem guardanapo nem nada. De mão para mão.

Street food (fonte: http://notjustaphoto.me)

Tem muitas barraquinhas também vendendo mexilhões. E isso eu realmente tive que recusar. Eu estava com um amigo em Istambul, e ele me levou para experimentar, disse que eu tinha que comer porque era muito típico. Ele pediu um para o vendedor. O vendedor abriu, me mostrou a lesma, o bicho (gente, desculpa a ignorância, mas eu não sei bem o que é aquilo dentro da casaca, sei só que é um ser vivo...haha), e espremeu limão em cima, olhou pra mim e disse: "Eat". Lembrei na hora da Vik me dizendo que um dia comeu aquilo e passou muito mal, porque o bicho que ela comeu estava morto (ela me contou que do jeito que é vendido nessas barraquinhas, eles pegam direto o mexilhão e colocam para vender, não preparam, não fervem, não cozinham, ou o que quer que tenha que se fazer com ele antes. Por isso, aqueles que são vendidos na barraquinha tem que ser comidos vivos, ou frescos). Eu não sabia se o bicho estava vivo e nem queria imaginar um bicho vivo dentro da minha boca. Recusei umas dez vezes porque o vendedor (que era uma criança, tenho também que falar sobre o trabalho infantil na Turquia) insistia muito para que eu comesse. Meu amigo também insistiu, eu falei que estava com nojo e ele comeu por mim (ufa!).

Street food (fonte: http://notjustaphoto.me)

Eu acho que em alguns lugares tem que se tomar cuidado mesmo em relação à alimentação. Às vezes o organismo da pessoa local é diferente e já desenvolveu anticorpos que o estrangeiro não vai ter. Tem gente que gosta muito da culinária turca, eu gostei de alguns pratos. Gosto é muito pessoal, mas vale a pena experimentar tudo o que der, sempre!!!

Beijo,
Nicole Werneck.

O blog também está no facebook, clica aí para acompahar: Nicole Werneck-Blog

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário