Páginas

domingo, 3 de agosto de 2014

Se você gosta de viajar de carona, inspire-se com ele: Leo Carona



Oi gente, hoje eu vim falar de uma pessoa super famosa entre a galera que viaja de mochilão e carona. Eu super o acompanho e tive oportunidade de bater um papo com ele esses dias. Ele respondeu algumas dúvidas que eu tinha e eu senti uma enorme vontade de escrever sobre essa pessoa super interessante.
Eu nem disse isso a ele, mas a primeira vez que eu o vi, foi em uma mensagem que ele deixou no CouchSurfing dizendo que ele tinha muita vontade de viajar em um trem de carga que ia para o Rio de Janeiro, mas claro, ele queria viajar junto com a carga, dentro do trem na parte do motorista seria muito comum. Na hora eu pensei: "que cara louco, quero conhecer".
Bom, ele é conhecido como Leo Carona, e hoje está morando em Odense, na Dinamarca, por um intercâmbio da AIESEC (eu prometo falar mais da AIESEC em outro post aqui no blog, porque já fui voluntária da organização em Juiz de Fora). 
O Leo é formado em Sistemas de Informação pela PUC-MG e é natural de Raul Soares, Minas Gerais.
O interessante na vida dele, é que ele viajou por MUITOS lugares de carona. Na verdade, ele foi uma das minhas inspirações para eu me aventurar a viajar dessa forma pela Europa.
Ele me contou que depois que se formou, foi contratado para trabalhar exatamente no cargo que ele queria, mas que depois de um tempo, pediu demissão do trabalho e foi viajar de carona pelo Brasil, Uruguai e Argentina. Nessa época, ele levava algum dinheiro, porém agia como se não tivesse nenhum. Gastava o mínimo possível e aproveitava mais as opções gratuitas.
Com 18 anos, morando em Viçosa, ele ia visitar os seus pais nos finais de semana que dava, pegando carona. E assim, ele começou a se questionar o por quê de pegar carona só para o mesmo lugar, já que ele poderia ir para outras cidades, outros estados e por que não, outros países?
Foi assim que ele foi parar no Chile, porque tinha muita vontade de ir para outro país, um lugar com gente diferente e que tudo funcionaria em um idioma diferente.
Ele me disse uma coisa que eu também vivenciei quando fui viajar de carona. Quando você fala para outras pessoas que irá viajar desse jeito, a reação na maioria esmagadora dos casos é essa: "Nossa, você é doido, é super perigoso ir assim." ou "Lá é difícil carona, porque as pessoas não tem esse costume." Bom, ele sempre voltou intacto para casa, a única coisa que não voltou intacta foi a mente dele, que com certeza se abre a cada nova viagem e experiência.
Claro, ele já passou alguns perrengues, como chuvas pesadíssimas na estrada ou ficar horas esperando alguém parar. Mas ele disse que todo o sofrimento acaba e se transforma em um sentimento bom quando alguém para e oferece carona ou oferece hospedagem (concordo com ele).
Quando ele acabou a faculdade, ele tinha muita vontade de trabalhar em outro país, aí ele começou a se candidatar em vagas de trabalho que apareciam na plataforma da AIESEC e ah...ele recomenda os intercâmbios dessa organização. Foi assim que ele foi para Dinamarca, ele queria um país que a língua oficial não fosse nem inglês, nem espanhol e nem português (que são as línguas que ele já fala). E assim ele está aprendendo sua quarta língua, o dinamarquês (olha que legal, na Dinamarca, o governo oferece de graça o curso de dinamarquês para os estrangeiros que estão morando no país).
Quando ele faz suas viagens, ele se hospeda de CouchSurfing (eu prometi escrever sobre o CouchSurfing, mas ainda não o fiz :( , mas se vocês quiserem ler sobre uma história interessante de CouchSurfing, clica aqui) ou se hospeda na casa de pessoas que ele já hospedou no Brasil ou na casa de pessoas que o convidam, por conhecerem seu blog (clica aqui pra ver o blog do Leo) ou seu canal no youtube (clica aqui pra ver os vídeos e se inscrever no canal).
E o que ele está achando da Dinamarca? Ele gosta de lá, como o inverno do país é rigorosíssimo, você só vê as pessoas na rua indo para o trabalho ou para algum club ou bar. A cultura de lá é totalmente diferente da nossa cultura latina. A qualidade de vida é excelente, e é verdade aquele papo de que até o chefe vai para o trabalho de bicicleta. E nem a chuva e nem a neve fazem o pessoal desanimar de pedalar lá.
Ele disse que para ele que é gay, é notável a diferença que sente entre Brasil e Dinamarca em relação ao preconceito. Lá, isso praticamente não existe e não escuta piadinhas machistas em momento nenhum. Um país em que homem e mulher não se tratam de maneira tão diferente. Lá nem tem grandes grupos LGBT, simplesmente porque tudo já é muito igualitário.  
Gente, clica aqui e dá um like na página do Leo, para acompanhar as aventuras dele que são interessantíssimas e uma delícia de acompanhar.

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona

Arquivo pessoal Leo Carona


Um dos vídeos dele

Obrigada Leo, desejo muito sucesso e muitos lugares mais para desbravar e que você continue nos contando tudo!

Se você já viajou de carona, posta aí nos comentários sua experiência.

Beijo,
Nicole Werneck.

O blog também está no facebook. Se você gostou dessa história, curte lá porque tem muitas mais: Blog da Nicole .
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário