Páginas

terça-feira, 15 de julho de 2014

Ele é brasileiro e está apaixonado pela colombiana



Fim de Copa. Estava eu 2 horas da manhã sentada em um ponto de ônibus com um amigo, no bairro de Botafogo, no Rio. A esse horário, a rua mais movimentada de Botafogo, já não tinha muito movimento. Era domingo, e apesar de ser o último dia da Copa das Copas (hehe...) de 2014, sediada em nosso país, todos tinham que trabalhar no dia seguinte. Deixa a festa pra Copacabana e pra Berlim. Eu estava esperando o ônibus do meu amigo, ele ia pro Maracanã e nesse dia tava uma m... chegar lá. Eu estava em frente ao meu prédio, quando o ônibus dele chegasse, eu ia só atravessar a rua e subir as escadas.
Em nossa direção veio um negão, alto, forte, com uma mala na mão e cara de mau, de muito mau. Sentou do nosso lado, nos olhou e disse:
-Que que eu faço agora cara?
-Que papo é esse brother? meu amigo perguntou.
-To fudido. Fudido mermo.
-Por que irmão?
-Cara, essa Copa me fudeu. Conheci uma colombiana, fomos para Búzios, acabamos de chegar de volta ao Rio, na verdade. Ela vai embora no fim de julho. E vai me deixar aqui, totalmente apaixonado. Que que eu faço agora cara?
-Ahhhhhhhh...que lindo, ele está apaixonado!!!!! - automático foi eu dizer isso.
Engraçado é que eu e meu amigo conversávamos exatamente sobre isso. Há um tempo atrás, ele conheceu uma italiana que veio morar no Brasil para fazer seu estágio. Ele disse que no início pensou: "vou ficar, mas não me envolver", e aí que o coração pregou as peças que ele adora pregar. Lógico, eles se apaixonaram, moraram juntos e chegou o dia dela voltar para seu país. Eu, como já vi e vivi um filme parecido com esse, era a melhor pessoa para escutar e entender o que ele passava. 
"Ah Nicole, nós conversamos todos os dias, whatsapp, facebook, skype. E ela voltou em novembro, ou seja 8 meses que eu tô nessa."
Te entendo totalmente irmão, como a italiana, eu também "invadi" o país alheio e sei que por mais que a gente diga que não vai se envolver com ninguém e estar ali só pra curtir, é complicado. É complicado porque a gente não manda nessas coisas, essas coisas na verdade é que passam misteriosamente a mandar na gente. 
Nesse contexto de mistura amorosa de nacionalidades, chega meu amigo apaixonado pela colombiana, que nem disse seu nome mas sua história nos uniu. Chegou do nada para dar seu relato e nós em um contexto totalmente parecido, o saudamos com boas-vindas ao clube dos que já se apaixonaram ou estão apaixonados a distância. Agregamos mais um e vimos que histórias parecidas existem aos montes. E que com a globalização e a facilidade de intercâmbio nas mais diversas áreas hoje em dia, vão existir mais e mais filhinhos de dupla nacionalidade no futuro. 
-Irmão, o que você faz? Vou te responder. Cara, você tem duas opções, se joga ou esquece. Não me pergunte como esquecer, se vira, se não quiser se jogar. Só não tente ficar com ninguém pela metade. Vira noites procurando promoção nas companhias aéreas, vai pra Colômbia. Meu conselho é que você não faça nenhuma loucura que hoje pareça que vá se arrepender no futuro. E talvez essa loucura seja não amar, seja não se jogar, seja não poder contar uma história foda no futuro. Tens medo? 
-Que isso brother. Quero e  vou. A colombiana virou minha cabeça. Não existe ninguém como ela. 
-Entendo, totalmente.
-Vou ter que trabalhar bastante para aguentar ficar viajando pra lá.
-Trabalha. Dá seu jeito.
-Será que vale a pena?
-Cara, a gente tá falando de amor. Por amor vale a pena.
-Mas amor acaba. Já amei outras pessoas e virou amizade depois. Sei lá, tem amores que parecem estrela cadente, eles surgem do nada, é bonito, e vão embora.
-Aí é contigo. Se der ruim, vai ser história pra contar depois. Mas tenta. Vive. Pode ser que dê certo. Pode ser que não. Mas só vamos saber se você tentar. E se no final, você não ficarem juntos, se não der certo, beleza, mas vai ter sido por amor. #vaiserfeliz
-Po cara, valeu mesmo. Essa parada aí. Vou procurar na internet voos baratos para Colômbia, vou tentar. Meu ônibus chegou, tenho que ir.
-Vai lá brother, boa sorte!
-Sorte não cara, me deseja que seja recíproco.
-Então tá. Desejo mesmo que seja recíproco.

Provavelmente, eu não vou saber o fim dessa história. Amigo do ponto de ônibus de Botafogo das duas da manhã, fui dormir pensando nela, sua história é bonita. Desejo que vocês sejam muito felizes, se não forem felizes juntos, que o sejam separados. Mas pelo amor de Deus, tentem.



Nicole Werneck.

O blog também está no facebook. Se você gostou dessa história, curte lá porque tem muitas mais: Blog da Nicole
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário