Páginas

domingo, 29 de junho de 2014

A noite de Istambul



Como já falei um pouco em outro post (aqui), a noite de Istambul, totalmente ao contrário do que eu imaginava, é intensa. Saímos todos os dias para balada. Vou destacar a rua Istiklal/Praça Taksim, que tem de tudo. Balada, barzinhos, restaurantes. Tem aquela galera que compra bebida e senta no chão, tem artista de rua e tem a galera que vai mais produzida para uma balada de fato. Tem também o bairro Ortaköy, que fica às margens do Bósforo. Esse bairro tem casas noturnas muito badaladas e mais caras.

Você pode também jantar em alguma taverna, que ofereça música e dança turca ao vivo, com as odaliscas dançando dança do ventre.

Quando estávamos na Taksim, íamos entrando de balada em balada. Tem MUITA festa ali, se enjoa de uma, vai pra outra. Eu queria ter feito mais vídeos e tirado mais foto dentro das baladas, mas na hora da diversão eu acabei esquecendo. Então as fotos que eu tenho não estão muito boas, está tudo registrado na cabeça mesmo. Na Taksim fomos em baladas que tocam música brasileira, eletrônica e árabe. Na balada com música árabe nos divertimos muito porque estávamos com árabes, e eles nos ensinaram a dançar do jeito deles. E é muito divertido.

Um fato que tem que se atentar na Turquia é que os porteiros das baladas não podem deixar que lá dentro o número de homens exceda o número de mulheres. Por exemplo, éramos 3 garotas e um cara havia sido barrado na porta da balada por estar sozinho. Então, ele pediu para que entrássemos com ele. Como somos pessoas de bom coração, entramos com ele e só assim, acompanhado de mulheres, ele conseguiu entrar. Cultura machista.

Outra coisa muito machista que vivenciamos. Em uma noite, a turca que morava conosco em Istambul saiu para a balada com a gente e levou seu namorado. No meio da balada, eles estavam se beijando e uma pessoa que trabalhava na boate se aproximou e pediu para que eles parassem de se beijar. O que achamos estranho é que nessa balada, como nas outras que fomos, haviam várias mulheres dançando no pole dance e várias outras se exibindo. Então, lá dentro, achamos que não teria problema os dois beijarem na boca.

É legal também que normalmente, nos bares e restaurante tem o famoso narguilé. E em muitos deles, o narguilé já fica em cima da mesa.

É comum também bares ou restaurantes que te convidam a sentar e comer no chão, em cima daqueles tapetes maravilhosos e rodeado de almofadas.

Um dia, saímos da balada cinco da manhã, e quando estávamos voltando para casa, o chamado para oração das mesquitas começou a ecoar por toda a cidade. Me senti mal...rs. De estar voltando para a balada enquanto outras pessoas estavam indo orar. Parecia que eu estava pecando...

Ah...uma coisa que me perguntaram. Mas na Turquia tem balada? As mulheres saem de burca para balada? Bom gente, Istambul tem balada. A outra cidade turca que eu fui e que tinha balada era Antalya, e lá as baladas foram decepcionantes. Istambul tem muitos turistas, muita gente de fora, e talvez seja a cidade da Turquia com menos muçulmanos. Eu até vi UM gay lá (já que na Turquia é muito difícil ver gays assumidos, por conta da religião mesmo).

Aqui você pode conferir o que vai rolar em Istambul quando você estiver na cidade.

As fotos estão péssimas, mas vou colocá-las mesmo assim...haha:

Rua Istiklal (sem noção da quantidade de gente que tinha sentada no chão nessa rua. A maioria era de estudantes, Erasmus, artistas de rua,...A galera compra sua bebida, alguma coisa para comer e senta no chão para bater papo. Legal demais)

Taksim

Night em Istambul

Night em Istambul

E você? Já esteve em Istambul e curtiu a noite de lá? Me conta nos comentários!

Beijo, beijo,

Nicole Werneck.

Instagram: @nicolewerneckf

←  Anterior Proxima  → Página inicial

4 comentários:

  1. Oi Nicole, adoro seu blog. Conheço Istambul só de passagem, mas fui orientada a não pedir bebidas alcoolicas pois poderia ser expulsa do lugar... Como é lá nesse sentido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natália, muito obrigada! Bom, não estou muito certa em relação à expulsão do lugar. A Turquia, apesar de ser um estado laico, tem a grande maioria da população muçulmana. Isso significa que o pais acaba seguindo muitas das regras rígidas da religião. Istambul é a cidade mais aberta e liberal da Turquia. Eu fui em bastante festas em Istambul, mas sempre acompanhada de amigos turcos, então eles já sabiam onde poderíamos ir e pedir bebida alcoólica e onde não seria legal pedir. Acredito que seja bem mal visto um grupo de mulheres pedindo bebida alcoólica sim, e alguns locais realmente não devem aceitar por serem mais rígidos. Eu aconselharia a ir pelo menos acompanhada de algum amigo se quisesse ir beber, para evitar algum problema, ou então chegar no local e perguntar se teria algum problema consumir bebida alcoólica lá. Tem também a época do Ramadan, que por ser uma data religiosa, acaba sendo ainda mais restrito o consumo de álcool. Mas é aquela coisa, depende muito do tipo de estabelecimento e dos donos dele. Cada um tem a sua regra. Então o melhor mesmo seria perguntar antes. Quanto ao interior da Turquia, eu já visitei e é ainda mais rígido em relação a costumes e tradições.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nicole! Encontrei se blog por acaso e vi que as postagens são antigas, mas não custa tentar...rsrs. Vou ficar apenas 1 noite em Istambul (10 horas paradas no aeroporto durante a noite!). Acha seguro eu apenas sair por umas horas de taxi,ir jantar, etc...sozinha? Não faço ideia de como é em termos de segurança. Obrigada desde já.Carlota

    ResponderExcluir